IGBC & Kip Garland Inovação para Conselheiros

IGBC – Inovação para Conselheiros1a EDIÇÃO 15 e 29 de outubro, 5, 12 e 26 de novembro e 3 de dezembro das 18h às 22h

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

O programa deste curso tem como objetivo construir uma base prática de conhecimento sobre as forças da inovação, com foco no papel dos membros do Conselho em seu estímulo. Visa, também, orientar as empresas sobre como potencializar oportunidades e identificar ameaças em seus mercados e negócios, com vistas a implementar mudanças de forma bem-sucedida.

RESULTADOS ESPERADOS

Capacidade de identificar condições favoráveis para a inovação disruptiva;

Desenvolvimento de competências para influenciar os mecanismos de gestão da empresa para melhor orientar as oportunidades de inovação; Compreensão do papel das tecnologias emergentes e de como isso afetará seus negócios e criará potenciais oportunidades de disruption;

Capacidade de desenvolver meios de trabalho que busquem forças inovadoras e potenciais oportunidades.

PROGRAMA

As origens da inovação disruptiva

A maioria das pessoas tende a pensar em inovação disruptiva como algo radicalmente diferente ou sofisticado. No entanto, estudos mostram que as inovações disruptivas são, na verdade, produtos e tecnologias mais simples.

Forças subjacentes: integração e desintegração

Há uma evolução previsível da integração e desintegração das cadeias de valor à medida que as empresas se movimentam para captar mais valor, seja nos problemas não resolvidos ou inadequadamente resolvidos em produtos e serviços.

Fronteiras de performance

À medida que as indústrias evoluem, formam uma fronteira de produtividade, oferecendo determinado custo-benefício. A inovação disruptiva ocorre quando uma tecnologia permite a criação de um novo mercado, reduzindo preços ou aumentando os benefícios.

Análise de rede de valor

A análise de rede de valor é uma ferramenta eficaz para mapear a possibilidade de inovação disruptiva. Durante a análise, adota-se um modo de aprendizagem reflexivo.

Job to be done

(JTBD) é um conceito que orienta a inovação, direcionando ações não apenas para melhorar as soluções atuais. A metodologia não é focada em produtos, serviços ou soluções, mas no cliente e na melhoria de sua experiência como um todo.

Planejamento orientado pela descoberta

O planejamento orientado pela descoberta é adequado para contextos de elevado grau de incerteza e instabilidade. Representa uma alternativa à abordagem do planejamento convencional.

Scrum

Agile é uma estrutura interativa e incremental para gerenciar o desenvolvimento de produtos disruptivos. Pode ser muito poderoso quando se trabalha com interrupções, pois define uma estratégia flexível e holística de desenvolvimento de produtos.

Tecnologias emergentes e base competitiva

Aos administradores cabe ter uma base conceitual que permita entender como tecnologias emergentes podem afetar a base competitiva das organizações. Tecnologias como blockchain, IoT (internet das coisas), big data, RPA (Robotização, Processo, Animação), economia compartilhada, mudanças na matriz energética e conectividade devem estar no radar dos conselheiros, bem como a compreensão de seus impactos sobre os negócios.

COORDENADOR DO PROGRAMA E PALESTRANTE – Kip Garland

Diretor da innovationSEED®, consultoria de processos em inovação. Ele é formado em Física e tornou-se um empreendedor e um renomado consultor global de inovação. Além de físico pela California State University, Kip tem mestrado em Estratégia Internacional em Administração de Empresas pela Stockholm School of Economics (Suécia), ESADE (Espanha), FGV (Brasil) e Universidade de Minnesota (EUA). Como Associate Director da Strategos, empresa americana de consultoria em Inovação estratégica fundada pelo guru Gary Hamel – onde ainda detém participação acionária, Kip liderou a implementação do projeto de maior sucesso de inovação e transformação do atual contexto corporativo da América Latina: Brastemp/Whirlpool. Em função desse projeto, a empresa, que consta na lista da Fortune 500, foi capaz de dobrar seu valor, adicionar US$ 3,000,000,000 ao ano em novas receitas, tornar-se uma das 100 companhias mais inovadoras do mundo segundo a Business Week e ter três casos escritos pela Harvard Business School. Kip liderou ainda projetos de inovação nas Américas do Norte e do Sul, na Europa, na Ásia e no Oriente Médio. Seu trabalho é focado na criação de abordagens e estruturas que auxiliem empresas a pensar e agir diferente para atingirem melhores resultados através de esforços baseados em inovação. Suas palestras conscientizam o público sobre a importância da inovação como principal diferencial competitivo através da geração de valiosos insights e estimulando os clientes a criar novas oportunidades de negócios, aliando marketing, estratégia, liderança e motivação na sua especialidade que é a inovação. Kip Garland, também é especialista em arquitetura estratégica e marketing, disponibilizando em suas palestras algumas das técnicas e metodologias aplicadas em empresas, assim como sua ampla experiência internacional em abrir mercados nos mais diferentes países e variadas culturas. Enxergando potencial no Brasil, e com base em sua forte crença no papel da inovação para o crescimento, Kip busca no país oportunidades de ajudar a promover e estimular iniciativas inovadoras.

O Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) é a principal referência do Brasil para o desenvolvimento das melhores práticas em Governança Corporativa. O IBGC promove palestras, fóruns acadêmicos e de debates, conferências, treinamentos enetworking entre profissionais, além de produzir publicações e pesquisas. O Instituto conta, ainda, com o Programa de Certificação para Conselheiros de Administração e Conselheiros Fiscais, que permite ao participante adquirir mais conhecimento sobre um conjunto de temas necessários para o seu bom desempenho dentro das organizações. Ao obter essa certificação, o conselheiro passa a integrar o Banco de Conselheiros Certificados do IBGC. Atualmente, hospeda as atividades da Global Reporting Initiative (GRI) no Brasil, uma rede global que busca fomentar a adoção das boas práticas nas organizações. Ainda no âmbito internacional, o IBGC integra a rede de Institutos de Gobierno Corporativo de Latino América (IGCLA) e o Global Network of Director Institutes (GNDI), grupo que congrega institutos de Governança ao redor do mundo. Desde 1995, o Instituto contribui para o desempenho sustentável e influencia os agentes da sociedade no sentido de mais transparência, justiça e responsabilidade.