De que modo a “Definição de Sucesso”​ dos brasileiros pode afetar a inovação?

Os fatores decisivos para que haja inovação nas empresas não são o dinheiro e ideias, e sim as decisões gerenciais tomada perante as incertezas. Claro que os outros fatores citados são importantes, porém não são suficientes para que a empresa se destaque e prospere com a inovação. Nesse artigo, será feita uma análise de como os brasileiros vem tomando decisões com parâmetros diferenciados, se comparados com os tradicionais das grandes potências, que podem trazer tanto aspectos positivos quanto negativos para a economia.

Ao considerarmos a metodologia do Discovery Driven Planning, com uma perspectiva de gerenciamento de inovação, a primeira etapa do processo é decidir uma definição de sucesso concreta para o projeto, que deve ser tomada como direcionador para todas as ações subsequentes da empresa. Dessa maneira, essa definição que validará se cada ação é ou não viável, o que muda completamente o resultado final. Começarei analisando três casos que presenciei nas últimas semanas, que, apesar de bastantes distintos, apresentam uma mesma lógica de tomada de decisão.

O primeiro caso é bastante comum, um amigo herdou a empresa do pai junto de alguns irmãos, e ele estava me contando sobre a conversa que eles tiveram sobre o futuro da organização. A premissa que eles tomaram como base era a de que todas as ações seriam feitas de modo à não desequilibrar a família. Enquanto essa for a definição de sucesso, é muito improvável que a empresa se torne inovadora, uma vez que a inovação por si já é uma causa de desequilíbrio, devido ao seu alto grau de incerteza.

O segundo caso diz respeito a números evidencias e pesquisas de neurocientistas, que apontam que as escolas não deveriam começar tão cedo (nunca antes de 09:00 horas da manhã), uma vez que isso causa baixa performance escolar, aumento de peso, sintomas depressivos e declínio da atividade física. Por conta disso, fui conversar com uma das representantes de uma das melhores escolas de São Paulo, e ela levou o assunto para a reunião de pais. Foi decidido, pela grande maioria, que o horário da escola não deveria mudar, porque afetaria o funcionamento da família, que geralmente leva o filho a escola e já se organizou com as atividades extracurriculares. Da mesma maneira, a decisão foi tomada com base em uma definição de sucesso que diz respeito ao equilíbrio familiar, e impediu uma inovação de acontecer, que, a princípio, não necessitaria de investimentos e poderia aumentar significativamente a performance e o bem estar dos alunos.

Por fim, um amigo que é CEO de uma empresa de mineração de ferro, que pretendia expandir a capacidade de exportação de um porto e, dessa forma, teve a ideia de comprar outras minas de ferro. Ele fez uma proposta muito atrativa, praticamente irrecusável do ponto de vista financeiro, para diversas empresas, majoritariamente familiares, e nenhuma aceitou. Considerando que ferro é uma commoditie limitada, sujeita a oscilações do mercado e que, no longo prazo, será menos utilizada no setor automobilístico, uma vez que carros elétricos utilizam menos aço em sua fabricação, essa escolha não tem um caráter de estratégia de longo prazo e sim, de manutenção do modelo de funcionamento das famílias, que já estavam acostumadas a viver das mesmas minas há anos.

Em todos esses casos o objetivo intangível de “harmonização familiar” impediu que novos projetos e inovações ocorressem, porém, não quer dizer, necessariamente, que estejam errados. O projeto não acontecer é uma decisão gerencial, e ela mostra uma forma diferente de avaliar projetos, não apenas focada em resultados financeiros, como vem sendo a tendência global. Em um momento que estão entrando novos valores na tomada de decisão e precisamos, consequentemente, de novos indicadores. Dessa forma, é importante levarmos em consideração aspectos de naturezas diferentes na tomada de decisão, e entender quais são as consequências que cada um desses fatores pode resultar para que sejam feitas escolhas que não priorizem um aspecto em detrimento de outro que pode ser tão importante quanto.